30/12/2013

Acabou-se



Eu ainda amo você!
Sim, amo. Eu sei, eu deveria ter dito isso antes, sei que está em cima da hora e meu avião irá partir mas eu não poderia ir sem te dizer isso. Eu te amo. Nunca deixei de amar, nem um dia sequer. Mas está na hora de ir. Sabe, eu fico imaginando o que teria acontecido se a gente tivesse dado certo. Será que estaríamos juntos hoje? Será que teria dado certo? Eu não encontrei lábios melhores que os seus. Nem beijos melhores. Não existe um abraço mais apertado que o seu, e nem um cheiro melhor que esse que exala da tua pele.
Ah, você quer saber mesmo? Não disse antes pois sabia que você não sentia o mesmo que eu! Eu sempre soube. Mas de um tempo pra cá eu tenho sentido um aperto no peito... Eu sei quando é a hora de partir e sei que essa hora é agora! Preciso seguir em frente, preciso me encontrar em um outro lugar.
 Mas, me faça um favor? Quero que me beije. Quero sentir teus lábios nos meus pela ultima vez e assim por um ponto final nisso tudo. Me beije.

20/12/2013

As flores lá fora me disseram para continuar


Desistir. Essa palavra ecoava pela minha mente vazia e resbalava ao se chocar com as paredes de minha mente.
Decidi tomar um ar.
Ouvi o som das árvores. Seus galhos balançando, suas folhas caindo ao chão... Decidi seguir em frente. Me deparei com belas margaridas. Um vaso gigante, cheio delas.
São as minhas flores favoritas, então sentei-me ao lado do vaso e comecei a conversar. O vento bagunçava meu cabelo e laçava meu perfume no ar, o barulho da água caindo logo atrás de mim era extraordinário e naquele momento eu senti algo bom, algo me pedindo para não desistir ainda, havia muita água pra rolar,
ainda havia um caminho muito longo pela frente. Não estava na hora de largar tudo, estava na hora de mudar.
As flores me disseram para continuar e eu às obedeci.


10/12/2013

Sentimentos efêmeros


E ela se sentia reprimida, isolada e constrangida. Não sabia o que dizer, muito menos o que fazer. Sentiu como se estivessem lhe arrancando do peito toda a alegria que havia juntado durante a vida. O amor não importava mais, a alegria havia se dissipado como uma dessas velas baratas. Ela estava perdida nesse emaranhado de sentimentos e já não sabia para onde seguir.
Talvez fosse melhor não seguir para lugar algum, talvez se esconder no meio de toda a desorganização de seus sentimentos fosse a melhor escolha.